Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

"Será que posso transar com o meu melhor amigo sem estragar a amizade?"

Universa

12/08/2019 04h00

"Conheço meu melhor amigo e confidente há vários anos. Como fui demitida, acabei indo trabalhar na editora que ele gerencia. Ele é separado há anos e eu continuo solteira. Passamos a ter um contato cada vez mais íntimo. Algumas vezes ele passou o braço sobre meus ombros e me acomodei em seu abraço, fui percebendo que estou envolvida pelo desejo e senti também que estamos muito próximos de ir para a cama. Mas o que isso significa? Sei, por seu perfil, que não seremos um casal, mas nos gostamos muito. Será possível sermos amantes ocasionais sem estragar essa amizade? Nosso contato íntimo vai mudar nosso cotidiano? Acho que essas são as grandes dúvidas…"

***

A crença de que é perigoso transar com um amigo ou uma amiga é muito difundida, e tem como origem a associação que se faz entre amor romântico e sexo.

Veja também:

Há quem defenda que para haver sexo é necessário se estar vivendo um romance com tudo o que ele inclui: ciúme, possessividade, pavor que o outro se interesse por alguém, medo de ser trocado. Essa norma de que amor e sexo têm que estar sempre juntos atinge principalmente a mulher. O homem não foi educado para ter que juntar as duas coisas.

Amor e sexo são impulsos totalmente independentes, e é possível se experimentar prazer sexual pleno totalmente desvinculado das aspirações românticas. Entretanto, ninguém pode esquecer que existe muito amor nas relações de amizade verdadeira.

Aquele amor em que os amigos participam da vida uns dos outros, discutem seus problemas, suas questões existenciais, são solidários e são, em muitos casos, até mais importantes do que uma relação amorosa tradicional. Entretanto, nem sempre se tem desejo sexual por um amigo. Como em todo amor, pode haver desejo ou não.

A amizade só corre risco se um dos dois envolvidos criar uma expectativa de relação com o outro diferente da amizade que sempre houve. Só porque transaram, a pessoa passa a se achar com o direito de controlar a vida do amigo, ser ciumenta, cobrar coisas. Nenhuma relação resiste a isso, ainda mais a de amizade, que se caracteriza justamente pela ausência de obrigações.

O que ocorre é que muita gente pensa que é livre, que não está mais presa aos modelos que exigem um comportamento igual para todos, mas de repente se descobre insegura, desejando sempre uma relação amorosa tradicional. Não sabendo bem como explicar seus sentimentos, sai por aí dizendo que amizade e sexo não podem se misturar.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.

Mais Blog Regina Navarro