Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

"Meu marido é viciado em ver pessoas transando. Não sei o que pensar"

Regina Navarro Lins

01/07/2019 04h00

Ilustração: Caio Borges

"Estou casada há um ano e tive uma triste surpresa. Descobri que meu marido é viciado em ver pessoas transando. Achei estranho quando ele comprou um binóculo. Depois, descobri que ele fica muito tempo, geralmente de madrugada, espiando um casal que dorme nu no prédio da outra rua. Não sei o que pensar…"

***

O voyeurismo é classificado como excitação com a observação de ato sexual, mas também se aplica a observação intencional de pessoas nuas, vestindo-se e despindo-se, sem que os envolvidos tenham conhecimento de estarem sendo observados. Pode ser seguido de masturbação, levando ao orgasmo.

Leia também

Comunicação do corpo: tato é a verdadeira linguagem do sexo

Sociedades sexualmente conservadoras tendem a ser mais violentas

"Eu dizia que meu casamento era ótima, mas estava me enganando"

Estudos sobre o tema avaliam que há mais homens adeptos do voyeurismo do que mulheres, por questões culturais. Homens são mais incentivados ao visual em todos os aspectos do erotismo. Há revistas e filmes e um grande setor da internet voltado exclusivamente para o voyeurismo. Mas é claro que espionar alguém é muito mais excitante e deve gerar mais prazer aos adeptos dessa prática.

Segundo as pesquisas de Alfred Kinsey, a observação do sexo oposto é considerada erótica mais por homens do que por mulheres na proporção de 72% a 58%. No caso de fotografias de nus, 52% dos homens e 12% das mulheres reagem sexualmente. Outro pesquisador verificou que 16% das mulheres e 83% dos homens adultos sentiam desejo de observar pessoas nuas ou fazendo sexo, sendo que 20% das mulheres e 65% dos homens já haviam realizado isso.

Kinsey concorda que nos mamíferos, quase todos os machos e algumas fêmeas ficam excitados ao observarem animais copulando, o que também ocorre com os humanos. Há sempre um grupo de pessoas fascinadas junto à jaula de um macaco, no zoológico, quando ele está copulando com sua parceira. Isso sem falar nos motéis com espelhos nas paredes e nos tetos e o sucesso que fazem os filmes pornográficos.

Não há duvida que a maioria, em algum momento, imagina a intimidade de alguém por quem se sente atraída, mas é comum se limitar à fantasia. Os que vão além são os voyeurs.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.