Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

"Descobri que meu marido é bissexual, mas ele diz que me ama e nada mudará"

Regina Navarro Lins

04/03/2019 10h41

Ilustração: Caio Borges

"Estou casada há 16 anos e temos um filho de 12 anos. Vivíamos uma vida quase perfeita em termos amorosos, até que, no ano passado, um amigo de infância de meu marido voltou de Berlim, onde estudava. Ele é bissexual e está separado da mulher, que ficou na Europa. Ele e meu marido convivem muito bem. Ele é muito legal e gosta de mim, mas senti que meu marido está mudado desde a volta do amigo. Conversamos outro dia e soube que meu marido está transando com um amigo desse amigo. Ele diz que me ama e que nada mudará entre nós, mas que ele não  está fechado a novas experiências amorosas. Será que ele é gay ou está indeciso se gosta de mulher ou de homem?"

***

Os bissexuais sempre foram acusados de indecisos, de estar em cima do muro, de não conseguir se definir. Ao contrário do que muitos pensam o bissexual não é um gay enrustido. Pesquisadores da Northwestern University, Illinois, EUA, encontraram evidências científicas de que alguns homens que se identificam como bissexuais são, de fato, sexualmente atraídos por homens e mulheres.

Muitos afirmam que numa situação semelhante ao da internauta romperiam o casamento. O pesquisador americano Alfred Kinsey acredita que a fluidez dos desejos sexuais faz com que pelo menos metade das pessoas sintam, em graus variados, desejo pelos dois sexos.

A famosa antropóloga Margareth Mead afirmou: "Acho que chegou o tempo em que devemos reconhecer a bissexualidade como uma forma normal de comportamento humano. É importante mudar atitudes tradicionais em relação à homossexualidade, mas realmente não deveremos conseguir retirar a carapaça de nossas crenças culturais sobre escolha sexual se não admitirmos a capacidade bem documentada, e atestada no correr dos tempos, de o ser humano amar pessoas de ambos os sexos."

Penso que a mulher que fica sabendo da bissexualidade do marido deveria avaliar a própria relação afetiva e sexual que tem com ele, sem se deixar contaminar por preconceitos. E mais um detalhe fundamental: como em toda relação em que não existe exclusividade sexual, jamais fazer sexo sem camisinha.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.