menu
Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

"Minha filha se afastou dos amigos e vive isolada com o namorado"

Universa

23/07/2018 04h20

(Caio Borges)

"Não estou reconhecendo a minha filha. Ela tem 23 anos e, desde que começou a namorar parece ser outra pessoa. Só vive em função do namorado; dá a impressão que nada mais lhe interessa. É curioso, porque sempre teve muitos amigos e uma vida social intensa. A nossa casa era o ponto de encontro…tocavam violão, cantavam, enfim, se divertiam bastante. Só que se afastou de todos. Ela e o namorado vivem isolados, não saem com os amigos e ninguém vem aqui. Parece que eles deixaram de existir. Não consigo aceitar esse comportamento como algo saudável."

****

Numa relação estável é comum as pessoas se afastarem dos amigos e abrirem mão de atividades que antes proporcionavam grande prazer. Um deve ser a única fonte de interesse do outro e, portanto, tudo o mais é considerado dispensável.

Veja também

Além disso, o exagero de participação na vida do outro também faz parte do que se espera de um namoro ou casamento. É visto como natural que se deem opiniões e até que se façam exigências em assuntos absolutamente pessoais como trabalho, relações familiares e de amizade.

O ideal do par amoroso que está sempre junto, que se completa em tudo, atenua por um tempo o temor do desamparo. Mas, para que essa situação seja mantida, são feitas inúmeras concessões e a consequência inevitável é um acúmulo de frustrações que torna, com o tempo, a relação sufocante.

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.