Regina Navarro

O orgasmo múltiplo do homem

Regina Navarro Lins

Homens tendo prazer

Ilustração: Lumi Mae


Comentando a Pergunta da Semana

A maioria das pessoas que responderam enquete da semana acredita que o homem pode ter orgasmos múltiplos. E isso é ótimo.

Apesar de quase todos os homens estarem acostumados a ter ereção, e depois a ejaculação e o orgasmo juntos, esses, na verdade, são três fenômenos distintos: ereção, ejaculação e orgasmo. Mediados em lugares diferentes — o orgasmo ocorre no cérebro e a ejaculação ocorre na uretra posterior, próstata e vesículas seminais, e é um refluxo medular —, o paraplégico, sem nenhuma sensibilidade nos órgãos genitais, consegue ter orgasmo, assim como há homens operados da próstata que não têm ejaculação nenhuma, mas têm orgasmo.

É possível um homem ter ereção sem ejaculação, ejaculação sem ereção e orgasmo sem ejaculação, desde que aprenda a fazer isso. Orgasmo é a sensação, ejaculação é a saída de esperma. Os chineses há mais de três mil anos perceberam que o homem pode ter vários orgasmos seguidos sem ejacular e, desse modo, aumentar a longevidade por não sentir a fadiga que se segue à ejaculação.

O New York Times publicou, há alguns anos, o resultado de uma pesquisa científica sobre os danos causados pela produção de esperma para o organismo do homem, concluindo que “gerar esperma é muito mais difícil do que os cientistas imaginavam. Isso requer um desvio de recursos que pode vir a prejudicar a saúde masculina a longo prazo''. E faz sentido, pois durante toda a sua vida um homem ejacula em média cinco mil vezes. Considerando que cada ejaculação contém de 50 a 250 milhões de espermatozóides, ele ejacula cerca de um trilhão de desnecessários espermatozóides! Entretanto, na realidade, só precisaria ejacular quando desejasse ter um filho.

Sem falar nas queixas das mulheres: “Depois que meu marido tem orgasmo ele vira para o lado e dorme. Eu fico ali, sozinha, olhando o teto''. É, com certeza, a reclamação mais comum das mulheres em relação aos seus parceiros no sexo. Muitos dirão que isso acontece porque o homem é egoísta mesmo, que só pensa em sexo e após se sentir satisfeito perde o interesse pela mulher. Mas não é isso. Esse desencontro ocorre porque ele ejaculou e… ficou exausto. Mal consegue se mexer, só desejando dormir.

A representação da mulher insatisfeita, cujo amante ejacula, grunhe e desmorona sobre ela é tão comum que já virou piada popular, diz Mantak Chia em seu livro. Para ele, a exaustão que os homens sentem após a ejaculação é também tão antiga quanto o primeiro gemido do coito. Segundo seu relato, há cinco mil anos, Peng-Tze, um conselheiro sexual do famoso imperador oriental, disse: “Após ejacular, o homem fica cansado, seus ouvidos zunem, suas pálpebras pesam e ele deseja ardentemente dormir. Ele tem sede e seus membros parecem fracos e tensos. Ao ejacular, ele usufrui de um breve momento e depois sofre um longo período de exaustão''.

A ejaculação não passa de um fenômeno localizado e mecânico, no qual o líquido ejaculatório, em consequência da diferença de pressão, migra de um local para o outro. Já o orgasmo consiste numa série de fenômenos corporais e neurofisiológicos. A sensação ejaculatória causada pelo progresso do líquido espermático dentro dos órgãos genitais depende do grau de força dos músculos que sustentam o pênis (músculos pubococcígeos), assim como dos músculos que o contraem, fazendo o sêmen chegar ao exterior da uretra.

Esses músculos, se treinados, podem aumentar o tempo de controle ejaculatório e, como após a ejaculação normalmente o pênis perde sua rigidez, essa ejaculação mais tardia aumenta consequentemente o tempo de ereção, o que por sua vez aumenta o tempo da sensação orgástica.

Além disso, é possível ter um orgasmo completo sem ejaculação simultânea, e aí se encontra o segredo para o homem se tornar multiorgástico. A maioria dos homens que já teve essa experiência espontaneamente julga que foi um acidente, outros já se preocupam achando que está acontecendo algo de errado com eles, mas muito poucos pensam no fato de que pode ser uma experiência repetida quantas vezes quiserem e ser cada vez mais aperfeiçoada.

Para o homem ter vários orgasmos sem perder a ereção, existe toda uma técnica a ser desenvolvida. Nela se aprendem exercícios que possibilitam o controle da respiração e o fortalecimento do músculo da região pubiana, responsável pelas contrações rítmicas da pelve durante o orgasmo. Assim, o homem passa a ter ereções mais firmes, intensifica seus orgasmos e aprende a separar orgasmo e ejaculação.

Os homens que têm orgasmos sem ejaculação afirmam que o prazer é bem mais intenso do que o alcançado no orgasmo ejaculatório. O livro de Mantak Chia, que ensina os exercícios chama-se O Orgasmo Múltiplo do Homem (editora Objetiva).