Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

"Marcamos nosso casamento, mas estou pensando em voltar atrás"

Universa

2024-12-20T18:04:00

24/12/2018 04h00

Caio Borges/UOL

"Namoro há cinco anos e combinamos de nos casar em julho do próximo ano. Apesar de amar muito meu namorado e desejar construir uma vida junto com ele, acho que ainda não é tempo de nos casarmos. Desde que me formei na faculdade e comecei a trabalhar, alimento o desejo de tirar um ano para viajar por vários países da Europa. Nunca escondi isso dele. Fiz muitas economias para realizar meu projeto. Só que ele faz de conta que não sabe disso; quis marcar o casamento , e eu acabei concordando. Mas agora estou pensando em voltar atrás."

***

Pelo relato acima, constatamos que está cada vez mais distante o tempo em que se acreditava que amar exigia sacrifícios. Até meados do século 20, todos valorizavam quem abria mão dos próprios anseios em prol do outro. Ceder era a palavra de ordem para um bom relacionamento. E quem não se dispusesse a isso corria o risco de ser rotulado de imaturo ou de egoísta.

Veja também:

Agora, ainda bem, as coisas estão mudando. Não tinha outra saída, a vida a dois, numa relação estável — namoro ou casamento — se tornou difícil de suportar diante das transformações e apelos da sociedade atual. Principalmente porque sempre se aceitou como natural que um casal vivesse numa relação fechada, onde  só participavam a possessividade, o controle e o ciúme.

Mas, no momento em que os modelos de amor, casamento e sexo se tornaram insatisfatórios, abriu-se espaço para novas experimentações no relacionamento afetivo-sexual. E é exatamente o que algumas pessoas já começaram a fazer.

O psicoterapeuta e escritor Roberto Freire considera que o verdadeiro ato de amor é o que garante a quem amamos a liberdade de amar, além e apesar de nós e de nosso amor. Ele acredita que apesar de muita gente considerar que essa ideologia amorosa é pura utopia, quase todos sonham com essa possibilidade.

Acredito que as relações amorosas no futuro serão mais livres e, por isso mesmo, mais satisfatórias. Não alimentando fantasias românticas de fusão com outra pessoa, cada um tem a oportunidade de pretender se sentir inteiro, sem necessitar de outro para completá-lo. Aí então será possível descobrir as incontáveis possibilidades do amor e como ele pode se apresentar para cada pessoa em cada momento de diferentes maneiras. Amar e ser amado vai significar muito mais.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.