menu
Topo
Regina Navarro Lins

Regina Navarro Lins

É possível encontrar o amor depois dos 80 anos

Regina Navarro Lins

06/10/2018 10h35

Sob o título "Amor após os 80", o jornal espanhol El País publicou matéria ilustrada por varias fotos de idosos em suas camas, sós ou acompanhados. As imagens retratam momentos de contentamento por estarem com alguém ao lado ou em contato via celular. Pessoas comuns contam como se conheceram. Selecionei dois casos.

Bartolo, que enviuvou após chegar aos 80 anos e se desesperou, pensou em suicídio, mas finalmente, encontrou uma companheira por via de um programa de TV. Carmem, de 81 anos recebeu dele o apelido de "o remédio". Em seu primeiro encontro, ela sugeriu a ele que tomasse uma ducha. Ao sair do banho, Carmen o esperava nua. "Estava há oito anos e meio sem ter relações sexuais e quando ele me encostou tive um choque", lembra ela. Ela não fazia sexo há oito anos. Estão juntos desde então.

Encarnación, também viúva com mais de 80 anos, confessa que possui desejo por sexo como uma garota de 15. Também num programa de TV para amor entre idosos encontrou um namorado. Ele lhe perguntou se ela possuía "pelinhos lá embaixo" e ela sugeriu que ele não se excedesse tão rápido.

Muitos estranham que pessoas nessa idade sintam desejo sexual, mas não há limite de idade para a prática de sexo segundo os principais estudos sobre o tema, mas sobram preconceitos contra a velhice — os idosos seriam improdutivos, incapazes de mudanças, senis. Isso os levariam a serem considerados assexuados, como se sexo e juventude fossem sinônimos. Por essa lógica, o homem estaria condenado à impotência e a mulher, após a menopausa, não se interessaria mais pelo assunto.

Para o antropólogo francês Michel Bozon, o prolongamento da vida sexual até idades mais avançadas é uma mudança marcante das últimas décadas do século 20. O aumento da expectativa de vida, com boa saúde, à difusão do ideal de juventude e à possibilidade de os mais velhos aproveitarem tanto a sociabilidade quanto os lazeres autônomos, não os limita mais a frequentar apenas a própria família. A autonomia cada vez maior dessas pessoas faz com que os preconceitos tradicionais contra a sexualidade na velhice recuem. E satisfação dos mais velhos em relação à sua vida sexual também aumentou bastante.

Não é difícil imaginar que o aumento da longevidade, aliado aos avanços da medicina e a novas técnicas de reposição hormonal para a mulher e medicamentos para manter a ereção do homem, conduz ao desenvolvimento de uma nova mentalidade quanto ao sexo praticado por pessoas idosas, até aquelas com bem mais de 70 anos.

Sobre a autora

Regina Navarro Lins é psicanalista e escritora, autora de 12 livros sobre relacionamento amoroso e sexual, entre eles o best seller “A Cama na Varanda”, “O Livro do Amor” e "Novas Formas de Amar". Atende em consultório particular há 45 anos e realiza palestras por todo o Brasil. É consultora e participante do programa “Amor & Sexo”, da TV Globo, e apresenta o quadro semanal Sexo em Pauta, no programa Em Pauta, da Globonews. Nasceu e vive no Rio de Janeiro.

Sobre o blog

A proposta deste espaço interativo é estimular a reflexão sobre formas de viver o amor e o sexo, dando uma contribuição para a mudança das mentalidades, pois acreditamos que, ao se livrarem dos preconceitos, as pessoas vivem com mais satisfação.